Leia um resumo da palestra de Marina Colasanti

Convidada do Seminário Biblioteca Viva, a escritora e jornalista Marina Colasanti foi a última atração do evento. Neste fechamento, ela contou causos de infância durante a Segunda Guerra Mundial na Itália, falou da sua relação afetiva com as bibliotecas e livros, respondeu às perguntas do público, falou de feminismo e, como uma cereja do bolo, declamou uma de suas histórias, o que emocionou todos os presentes.

Priorizou em sua fala, a relação com as bibliotecas de sua vida. Disse que durante a guerra, acostumou-se a não ter biblioteca formal. No conflito armado, as pessoas não levavam mais do que a roupa do corpo e uma pequena mala com alguns objetos. Mas lembra até hoje de uma coleção de livros clássicos editada pelo regime fascista em que pode conhecer autores como Miguel de Cervantes, Alexandre Dumas, Edgar Allan Poe, Homero, entre outros. Afirma que com palavras não consegue transmitir como aquelas obras a mudaram por dentro, a evolveram, a fizeram atravessar um portal.

marina-colasanti-3

“Essa biblioteca invadiu a nossa vida, mas os livros ficaram para trás. Mas essa mesma biblioteca viajou com a gente, como algo interno”.

Ainda sobre o tema, contou que ao longo da vida foi agregando outras bibliotecas. Comprou muitos livros sobre feminismo, sobre questões de gêneros, sobre o amor, sobre as relações humanas, sobre o casamento, sobre a colonização italiana na África. Mas uma coleção ficou apenas no desejo.

Era a biblioteca de seu avô, historiador de artes. Lá, haviam tomos e tomos de livros sobre moda, arquitetura, desenho e ilustrações. Todos encadernados em capa de couro, com letras em dourado. Após a morte dele, esse acervo foi herdado para seu tio.

marina-colasanti-6

“Nunca almejei herança, mas queria ter ficado com biblioteca herdada pelo meu tio. Eu morei dois anos com ele e com minha avó, ficava em Roma no inverno. Meu tio era cenógrafo e figurinista e acrescentou a coleção revistas de moda do século XIV. Quando era boazinha, eu tinha direito a ir na biblioteca. E eu ficava a noite folheando esses livros de história da arte e comendo cerejas. Essa biblioteca que eu sonhava herdar foi prometida ao meu irmão, mas acabou sendo vendida em leilão. Se tivesse ficado com ela, gastaria uma pequena fortuna para trazê-la ao Brasil. Mas não tem problema. Ela ainda é minha, porque ninguém esteve lá com tanta paixão”.

marina-colasanti-12

Marina tem mais estórias sobre bibliotecas. Disse que a internet foi uma revolução nos costumo e que hoje é verdadeiramente uma grande biblioteca. Mas que para usá-la, é necessária alguma formação. Elogiou também a Biblioteca do Congresso Americano, a maior do mundo. Disse que os americanos têm uma filial na Índia e, quando findou a ditadura no Brasil, mandaram para cá livros que foram censurados.

marina-colasanti-17

“O verdadeiro valor de uma biblioteca está no bibliotecário. O livro não é só uma capa, mas sim um universo”.

Disse também que toda a pessoa necessita de leitura. Que saber decodificar um texto é uma questão de civilidade. Mas a literatura é outra coisa, têm a ver com interpretação, com variadas leituras. Para fomentar esse gosto, ela acredita que existe o livro certo na hora certa. É o caso de sua filha, que não tinha o hábito da leitura. Até ficar doente e se encantar por Eu, Christiane F., 13 Anos, drogada e prostituída, um clássico dos anos 80. A partir daí a filha nunca mais parou de ler e hoje é roteirista.

marina-colasanti-21

“Muitos professores me perguntam como fazer as crianças lerem? Se ele não sabe, ele não tem paixão. Existe uma troca que só acontece quando se têm paixão, no olho no olho. Um bom leitor se faz no acerto de um livro”, finalizou.

Veja uma galeria multimídia do que aconteceu no último dia do seminário

O último dia do Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias foi marcado por apresentações de poesia, com Renan Inquérito; um debate sobre como atrair jovens para os equipamentos culturais usando as redes sociais; falou-se da relação entre bibliotecas, história e censura; promoveu-se uma mesa-redonda sobre acessibilidade e teve como fechamento uma divertida conversa com Marina Colasanti. Veja um resumo do que aconteceu:

Veja imagens marcantes do segundo dia do Seminário

O segundo dia do Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias, realizado nesta terça-feira, 8 de novembro, foi marcado por momentos de descontração como no show Solidão no Fundo da Agulha, com Ignácio de Loyola Brandão e Rita Gullo. Também contou com uma aula magna da francesa Geneviève Patte, que falou sobre como motivar as crianças a lerem mais. Outro destaque foi uma mesa-redonda sobre Serviços de referência em biblioteca, além da apresentação de experiências em Estados brasileiros tão diversos como Minas Gerais, Ceará e São Paulo. Confira uma galeria multimídia destes momentos tão marcantes:

 

Confira alguns ensinamentos da francesa Geneviève Patte

A bibliotecária francesa Geneviève Patte subiu ao palco do Seminário Biblioteca Viva no início da tarde para uma palestra sobre como atrair o público infantil para a leitura. Autora do best-seller Deixe que leiam, publicado no Brasil pela Editora Rocco, ela já trabalhou com organizações internacionais como IFLA, UNESCO e IBBY e realizou os primeiros seminários internacionais sobre bibliotecas para crianças e jovens nas regiões em Leipzig, na Alemanha (1981), Caen, na França(1990), e Bangkok, na Tailândia (1999. Foi indicada ao Astrid Lindgren, o mais prestigiado prêmio da literatura infantojuvenil do mundo. Dirigiu durante 35 anos a associação La Joie par les Livres, responsável por uma biblioteca infantil na periferia parisiense que contribuiu para o desenvolvimento e difusão de bibliotecas para crianças e jovens em muitos países. Criou o Centro Nacional do Livro para Crianças e a revista do Livro para crianças, publicada atualmente pela Biblioteca Nacional da França.

Confira alguns ensinamentos que a mestre deixou de testemunho aqui no Brasil:

seminario2dia015

Comecei a trabalhar em bibliotecas nas periferias das grandes cidades, em bairros pobres. Percebi que as crianças adoravam a leitura. Eu acho que o verdadeiro leitor é uma pessoa livre. E as crianças são grandes leitores. É fácil pegar um cesto com os nossos melhores livros, fazer uma pequena biblioteca num muro. É uma coisa simples, direta e que não custa dinheiro. Temos duas riquezas, o livro e a biblioteca. Não precisamos de nada sofisticado, a simplicidade abre portas, faz sonhar.

seminario2dia019

Acredito que quando lemos para uma criança, ela tem consciência de que vamos lhe dar alguma coisa, que vamos deixar as nossas ocupações sérias para ler e compartilhar. A criança fica tocada pois vê que o adulto tem prazer de estar com ela e com o livro. Por isso temos que escolher de maneira cuidadosa estes livros. Como consequência, o adulto fica emocionado de ver que seu filho é sensível. Já a criança fica emocionada de ver o adulto tocado por estar naquele mundo infantil. É por isso que damos tanta importância na leitura de crianças.

seminario2dia023

Os adultos leem pelo prazer e pela experiência. Já crianças menores e maiores não sabem que a leitura é algo que as transforma em bons alunos, mas sabem que o que é uma experiência. Eles nos ajudam a ler o livro pois prestam atenção aos detalhes. E nós devemos aceitar as suas interpretações. Não devemos fazer correções ou dizer que deve ser do nosso jeito. A gente tem que aceitar o jeito que elas mesmo descobrem. Não estamos na sala de aula, pois a biblioteca não serve para isso. A nossa missão não é corrigir ou bloquear a criança.

seminario2dia027

É preciso ter prazer de compartilhar com as crianças. Uma criança e um adulto vão ter leituras diferentes. Temos que dar prioridade para a leitura delas. Deixemos as crianças viverem a sua história. Quando vamos ao cinema e ao teatro, cada um vê de seu jeito. E a criança tem necessidade de ter essa leitura, ela mesmo lê e relê. Sabe que entre as duas capas de um livro há páginas, que é uma experiência e um suporte imutável. Assim a criança torna-se também um autor.

seminario2dia071

As crianças muitas vezes não vêm na biblioteca. Elas não sabem que têm um lugar por lá. Elas não se integram, não fazem bagunça. O que temos que fazer é sair da biblioteca e ir onde elas estão, onde elas brincam. E quando vamos para lá, elas vêm sozinhas. Elas querem ler junto conosco. E temos que estar num lugar onde os pais possam nos ver. É preciso ser visto, ter testemunhos. E temos que ir nos lugares com mais problemas, com a situação mais difícil. Conheci um garoto que a mãe chamou para almoçar. Ele disse que só iria depois, pois a história não tinha acabado.

Os destaques do primeiro dia do Seminário Biblioteca Viva

Veja uma história multimídia do primeiro dia do Seminário Biblioteca Viva, realizado neste 7 de novembro no Auditório da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência, no Memorial da América Latina, em São Paulo. Entre os destaques, pode-se citar as palestras de Cida Fernandez (Pernambuco) e  Juana Imelda Hernández Mendoza (Guatemala), o bate-papo com o escritor Ricardo Azevedo sobre o papel da literatura, uma mesa de debates com os especialistas em pesquisa na área cultural e a já tradicional apresentação de painéis que trouxe experiências diversas sobre o mundo das bibliotecas e da leitura. Confira a timeline abaixo.

 


Intervenções artísticas são alguns dos destaques do Seminário Biblioteca Viva

Apresentações dos Projetos Arrastão e Casulo, que atendem jovens em situação de vulnerabilidade social, marcam o evento.
O escritor Ignácio de Loyola Brandão e a atriz e cantora Rita Gullo estrelam o espetáculo “
Solidão no Fundo da Agulha” Continue reading “Intervenções artísticas são alguns dos destaques do Seminário Biblioteca Viva”

Painéis e pôsteres digitais selecionados para o 9º Seminário Biblioteca Viva

Ficamos muito felizes com as 116 experiências enviadas para avaliação do Conselho Curatorial do 9º Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias, que acontecerá nos dias 7, 8 e 9 de novembro de 2016, na Secretaria da Pessoa com Deficiência – Memorial da América Latina. Como nas edições anteriores, além dos painéis que serão apresentados oralmente, teremos uma sessão de pôsteres, que estarão expostos durante todo o evento.

_

_

APRESENTAÇÃO – PAINÉIS
Nome do projeto – Instituição – Município / Estado

_

7 de novembro de 2016

1. Saberturamigos  – Sociedade de Amigos da biblioteca – Varginha/MG (EXCLUÍDO POR NÃO CUMPRIR O PRAZO DE ENVIO DE DOCUMENTAÇÃO)
2. Tamo junto – Coletivos culturais e bibliotecas – Núcleo da Cidadania Cultural – São Paulo/SP
3. Bibliotecários Thinkers – Projeto de Inovação em Bibliotecas Comunitárias – Bibliotecários Thinkers e Biblioteca do Poeta do Centro Independente de Cultura Alternativa e Social – São Paulo/ SP
4. Biblioteca Humana – Biblioteca Pública Municipal Profª Vera Maria Gauss – Charqueadas/RS
5. Seminário para crianças e adolescentes LiteraSampinha  – Associação Maria Flos Carmeli e Instituto Brasileiro de Estudos e Apoio Comunitário – São Paulo/SP

_
8 de novembro de 2016 – manhã

6. Biblioteca, um espaço onde tudo é possível – União de Núcleos e Associação de Moradores de Heliópolis – São Paulo/SP
7. Estação Conhecimento – Instituto de Desenvolvimento do Trabalho Sine – Fortaleza/CE
8. BiblioarteLAB – Laboratório Comunitário de Inovação em Prática de Leitura e Formação de Leitores – Ong Casa da Árvore – Minas Gerais/MG
9. Ciranda de Mulheres – Brechoteca Biblioteca Popular – São Paulo/SP
10. RaPensando a Literatura – Biblioteca Pública Municipal Prefeito Mitsuo Marubayashi e Centro de Referência Especializado de Assistência Social – Paraguaçu Paulista/SP

_

8 de novembro de 2016 – tarde

11. Encontro dos Mediadores de Leitura da Diretoria Regional de Ensino de São Mateus- Secretaria Municipal de Educação de São Paulo – São Paulo/SP
12. Biblio(cri)Ativa – Universidade Federal de Goiás – Incubadora Social – Goiânia/GO
13. Anten@dos – Biblioteca Pública Municipal Professor Nelson Foot- Jundiaí /SP
14. Olhos que ouvem e mãos que falam – Atendimento Educacional Especializado – Cajamar/SP
15. Oficina Viagem Gastronômica – Biblioteca de São Paulo e Biblioteca Parque Villa-Lobos – São Paulo/SP

_
Abaixo os projetos selecionados para a exposição de pôsteres digitais:
PÔSTERES DIGITAIS 
Nome do projeto – Instituição – Município / Estado

_

7 de novembro de 2016 – manhã
1. Desenhando Leituras – SESC Ribeirão Preto – Ribeirão Preto/SP
2. Sertãozinho, cultura e história – Universidade de São Paulo e Instituto Cultural Engenho Central – Sertãozinho/SP
3. Programa BiblioPOP – Interação entre biblioteca e população em situação de rua – Biblioteca Pública Municipal Dr. Nilo Peçanha, Centro POP João Dias de Almeida e Faculdade da Fundação Educacional de Araçatuba – Birigui/SP

_
7 de novembro de 2016 – tarde
4. Desafios dos ditados populares – Sala de leitura Prof. José Alves Martins – Ourinhos/SP
5. A biblioteca Monteiro Lobato além da leitura: critérios de seleção de acervos feitos a partir do dinamismo do mercado editorial brasileiro – Biblioteca Pública Municipal Monteiro Lobato – São Paulo/SP
6. Clube de Leitura – Biblioteca Comunitária do Cristal – Biblioteca Comunitária do Cristal – Porto Alegre/RS

_
8 de novembro de 2016 – manhã
7. 30 anos de Sociedade Amigos da Biblioteca Municipal de Sumaré: o voluntariado em prol do livro e da biblioteca – Sociedade Amigos da Biblioteca Municipal de Sumaré e Rede de Bibliotecas Públicas de Sumaré – Sumaré/SP
8. Venham Brinciclar na biblioteca – Colônia de férias na biblioteca – Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça – Cuiabá/MT
9. Tesouros de Papel – Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Porto Alegre/RS

_

8 de novembro de 2016 – tarde
10. Bibliotecas Amigos do Bem – ONG Amigos do Bem – Pernambuco, Ceará e Alagoas
11. Seminário de Poesia Contemporânea – Escrita colaborativa – Biblioteca Pública do Centro Cultural Justiça Federal – Rio de Janeiro/RJ
12. Mergulho Literário – CEU Jardim Paulistano – São Paulo/SP

_
9 de novembro de 2016 – manhã
13. Programa Biblioteca no Ar de Auditório – Colégios de Itaparica e Vera Cruz- Itaparica/BA
14. Sábado Nerd – Biblioteca Pública Municipal Anna Aparecida José de Brito – Tarumã/SP
15. Biblioarte – Literatura e expressões artísticas – Diretoria de ensino – Mogi Mirim/SP

_

9 de novembro de 2016 – tarde
16. Iniciativas para acolhimento a pessoa com deficiência Intelectual – Biblioteca de São Paulo – São Paulo/SP
17. Lendo com os olhos da alma – Biblioteca Municipal Dr. Abelardo Vergueiro César – Espírito Santo do Pinhal/SP
18. Literatura Viva – Oficina para escritores iniciantes- Biblioteca Pública Municipal Júlio Prestes de Albuquerque e Academia de Itapetininga de Letras – Itapetininga/SP

 

Até sexta-feira (23/9), os autores selecionados receberão comunicado da coordenação do evento com as instruções para envio dos projetos e outras informações sobre sua participação.

Agradecemos a todos os colegas que enviaram seus projetos e esperamos contar com a presença de todos.

Inspire-se. Inscrições abertas!

O Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias é uma das principais iniciativas do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria da Cultura para inspirar, fortalecer e transformar em centros de referência cultural as mais de 800 bibliotecas existentes nos 645 municípios paulistas.

INSCRIÇÕES GRATUITAS, CLIQUE AQUI

Ao lado de outras ações, como o Prêmio São Paulo de Literatura e do programa Viagem Literária, o Seminário Biblioteca Viva é parte integrante de um conjunto de atividades do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas da São Paulo – SisEB, coordenadas pela Unidade de Difusão Cultural, Bibliotecas e Leitura para a propagação do livro e do gosto pela leitura no Estado de São Paulo.

Evento que vem se consolidando anualmente desde 2008, o Seminário Biblioteca Viva chega à sua 9ª edição apresentando uma programação baseada na crença de que a inspiração trazida por palestrantes e convidados, brasileiros e internacionais, é fundamental para ampliar as percepções dos gestores públicos e dos profissionais que atuam nas bibliotecas de São Paulo e de outros estados brasileiros.

A partir deste fortalecimento individual, abrem-se oportunidades para desencadear ações transformadoras nas unidades que interagem diretamente com o público de cada município, repercutindo na melhoria dos serviços prestados e na consolidação do nosso patrimônio cultural. Assim, promove-se a afirmação da cidadania que contribui para construção de uma sociedade consciente de seus valores individuais e coletivos.

São os pequenos movimentos do cotidiano, empreendidos por centenas de pessoas que integram as equipes das nossas bibliotecas, que fazem circular o espírito criativo entre profissionais e usuários, facilitando a fruição literária e o acesso à informação qualificada para acompanhar as mudanças do nosso tempo.

Tendo o livro, a leitura e a literatura como ponto de convergência, as bibliotecas de acesso publico são ambientes que reúnem imenso potencial para promover a interligação das diferentes correntes da nossa cultura. Essa aptidão natural propicia oportunidades de convivência social e de consumo cultural enriquecedores.

A biblioteca viva que aspiramos precisa ouvir, refletir, debater, acolher, registrar e promover a circulação de ideias. Para tanto, precisa se fortalecer continuamente para transformar a paisagem cultural de suas comunidades. E essa transformação começa pelas pessoas. Começa em cada um de nós que estamos aqui em busca de inspiração e de mais conhecimento para exercer a nossa vocação.

Bem-vind@s ao 9º Seminário Biblioteca Viva!

 

inscricoes-abertas

Chamada de trabalhos para Seminário Biblioteca Viva

A organização do 9º Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias – Seminário Biblioteca Viva convida a todos a enviar suas experiências, projetos e programas desenvolvidos em bibliotecas e espaços de leitura para apresentações no evento. O seminário vai ser realizado entre os dias 7 e 9 de novembro de 2016, no auditório da Secretaria da Pessoa com Deficiência (Parlatino) – Memorial da América Latina [Portão 10 – Av. Auro Soares de Moura Andrade, 564 – Barra Funda, São Paulo, SP].

Serão selecionados até 15 trabalhos, que devem ser apresentados no formato de painel expositivo com tempo de 15 minutos. Outros trabalhos selecionados pelo Conselho Curatorial serão veiculados na versão pôster digital.

Os responsáveis pelos painéis selecionados terão suas despesas de hospedagem referentes ao dia da apresentação custeadas pela organização do evento. Não estão incluídas outras despesas, como passagens, alimentação ou locomoção na cidade de São Paulo.

Serão recebidos trabalhos de todos os estados e municípios do Brasil e exterior.

Os temas dessa edição são:

  • A biblioteca e a comunidade;
  • Ações sustentáveis e consumo consciente;
  • Acessibilidade, vulnerabilidade e inclusão;
  • Biblioteca como espaço além da leitura;
  • Bibliotecas no mundo digital;
  • Interação entre biblioteca e escola;
  • Jovens leitores e a biblioteca;
  • Mediação cultural;
  • Mediação de leitura;
  • Parcerias e captação de recursos;
  • Serviços e programas de extensão
  • Soluções para ambientes em bibliotecas;
  • Voluntariado.

Lembramos que para a seleção dos trabalhos apresentados são considerados aspectos diferenciais como inovação, criatividade, abrangência e impacto social na comunidade.

Cada proponente pode enviar quantos trabalhos desejar, abrangendo diversos temas.

Para submissão de trabalhos:

  • Leia atentamente as Condições Gerais de Participação, onde estão reunidas as informações detalhadas para a inscrição. Clique aqui.
  • Envie seu relato de experiência/projeto/programa pelo formulário online disponível em: http://bit.ly/2ajDZJn

Serão aceitos os formulários enviados impreterivelmente até o dia até o dia 28 de agosto 2016.

As apresentações selecionadas serão divulgadas até 21 de setembro de 2016 no site do evento (www.bibliotecaviva.org.br) e no portal Aprender Sempre (www.aprendersempre.org.br), além de serem informados por e-mail pela Unidade de Bibliotecas e Leitura da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo (UBL/SEC) e SP Leituras – Associação Paulista de Bibliotecas e Leitura.

Não perca esta oportunidade de divulgar como seu trabalho está promovendo o gosto pela leitura e ajude a motivar outros profissionais!