Trilha da Experiência traz projetos sobre bibliotecas, quadrinhos e contadores de histórias

Os projetos Tô na Rede (Belém, PA), do Dia do Quadrinho Nacional da Biblioteca Pública Municipal Professor Ernesto Manoel Zink (de Campinas, SP) e o Coletivo de Contadoras de Histórias Rosazul (de Londrina, PR) chamaram a atenção e provocaram a curiosidade da plateia, durante um dos painéis da Trilha da Experiência durante o Seminário Internacional Biblioteca Viva. Tudo mediado por Mara Esteves, da Achadouras de Histórias.

O Tô na Rede teve início com um diagnóstico das bibliotecas públicas municipais do Pará, que resultou no mapeamento dos espaços em 144 municípios e até a formação de pesquisadores, além de criação de plataforma de mapeamento. Atividades como o Pará ler constaram do projeto, que ganhou encontros regionais com cerca de 900 participantes e recebeu prêmios no Brasil e no exterior.

O Dia do Quadrinho Nacional na Biblioteca Zink, em Campinas (SP), nasceu da necessidade de manter as famílias lendo juntas no espaço. O interesse dos visitantes foi imediato, que descobriram nesse universo das tirinhas, gibis e cartuns os criadores brasileiros. O evento tem programação que inclui bate-papo com quem desenvolve HQs no País e exposição.  Trata-se de uma forma de fazer conhecer as artes dos quadrinhos, celebrar artistas e os demais envolvidos nessa arte.

Já o Coletivo de Contadoras de Histórias Rosazul surgiu para realizar atividades de mediação de leituras atrativas para as crianças do Conviver na Biblioteca Interativa do CEM Irmão Acácio e de também envolver os  adolescentes dos Cursos Técnicos com o espaço da biblioteca e com a leitura literária. Algumas das histórias são criadas pelas meninas do Coletivo, mas sempre selecionadas por elas, o que contribui ainda mais para o empoderamento dessas mulheres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *